UMA ABORDAGEM PSICOLÓGICA PARA A RADICALIZAÇÃO, O TERRORISMO E A VIOLÊNCIA EM MASSA

O caso de Anders Breivik

  • Guilherme R.
Palavras-chave: terrorismo, radicalização, extremismo, desengajamento moral, psicologia, Breivik

Resumo

Anders Breivik é um indivíduo conhecido por ter conduzido um dos ataques terroristas mais devastadores da história da Europa. Todas as evidências apontam para o fato de ele ter agido sem o apoio direto de qualquer grupo ou organização. Este artigo discute aspectos ligados aos porquês, mas principalmente a como um indivíduo alcança tamanho grau de radicalização em seus pensamentos e ações a ponto de cometer assassinato em massa. Uma leitura do manifesto escrito por Breivik ajuda a delinear um quadro de seu modelo ideológico. O presente trabalho analisa a trajetória percorrida por Breivik entre o radicalismo político, o pensamento extremista e o engajamento em uma ação terrorista. A análise do discurso apresentado no Manifesto publicado pelo extremista norueguês a partir da teoria do desengajamento moral de Bandura revela-se útil para a compreensão dos processos mentais envolvidos no fenômeno. Também é utilizada a produção de autores como Horgan, Borum e Mcauley & Moskalenko. Os traços psicológicos associados ao comportamento terrorista devem ser considerados a partir de sua correlação com o histórico pessoal e a presença de fatores situacionais. Compreender e aplicar modelos da psicologia é tarefa crucial para analistas de contraterrorismo de todos os campos profissionais.

Biografia do Autor

Guilherme R.

Oficial de Inteligência da Agência Brasileira de Inteligência.

Publicado
2020-05-28